O uso da dimetilarginina simétrica (SDMA) no diagnóstico e estadiamento da doença renal crônica em felinos: revisão de literatura

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Patrícia Pietro Lourenço
Karina D’Elia Albuquerque

Resumo

O objetivo desta revisão de literatura é descrever os testes labora­toriais utilizados rotineiramente na clínica de pequenos animais para a detecção da doença renal crônica (DRC) em felinos, enfatizando o diagnóstico precoce desta afecção pela utilização de uma nova ferramenta laboratorial, a dimetilarginina simétrica (SDMA). A DRC caracteriza-se pela perda progressiva e irreversível dos néfrons, sendo a filtração a função mais básica dos rins, correlacionada, as­sim, à taxa de filtração glomerular (TFG) e à massa renal funcional. Embora a mensuração da taxa de filtração glomerular F seja método de referência para a avaliação da função renal, seu uso infrequente permite o uso de marcadores alternativos, como a concentração de uréia e creatinina séricas. O SDMA é uma molécula estável, sendo amplamente excretado pelo rim, o que o torna um bom candidato à biomarcador renal, pois seu tamanho e carga permitem que seja livremente excretado por filtração glomerular. A dosagem do SDMA é extremamente precisa, sendo o diagnóstico precoce de DRC pos­sível atualmente, intervenções renoprotetoras que retardam seu progresso, ou visam estabilizar a doença, são possíveis.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
LOURENÇO, P. P.; ALBUQUERQUE, K. D. O uso da dimetilarginina simétrica (SDMA) no diagnóstico e estadiamento da doença renal crônica em felinos: revisão de literatura. Revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia do CRMV-SP, v. 17, n. 2, p. 24-33, 7 ago. 2019.
Seção
CLÍNICA DE PEQUENOS ANIMAIS