Protocolo de classificação radiográfica de sesamoidite em equinos (Equus caballus) de vaquejada

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

P. C. Schellin
A. C. F. Souza
J. B. Gomes
R. S. Silva
P. B. C. Amaral
J. E. B. Leite

Resumo

A porção distal do aparelho locomotor equino é composta, em sua estrutura óssea, por falanges proximal, média e distal; metacarpo ou metatarso; e ossos sesamoides distal e proximais medial e lateral. O potencial atlético do cavalo é explorado ao máximo em eventos esportivos diversos, como a vaquejada, destacando-se a rotina de treinamento intensa, que pode predispor ao desencadeamento de lesões musculoesqueléticas. Quando o osso sesamóide proximal é acometido por periosteíte e/ou osteíte, e essa alteração está, ou não, associada à mineralização de tendões e ligamentos, estabelece-se a sesamoidite. A sintomatologia clínica mais comum consiste em claudicação crônica e progressiva, e o diagnóstico é realizado com o emprego da radiografia. Este trabalho relata os achados radiográficos de sesamoidite em 15 equinos utilizados rotineiramente em pistas de vaquejadas, e propõe um protocolo de classificação radiográfica para essa afecção.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Seção
VII SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE DIAGNÓSTICO POR IMAGEM VETERINÁRIO (SINDIV)