Histerocele Inguinal Concomitante Com Parasitismo Intrauterino Por Dioctophyma Renale

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

D. R. Mattei
F. A. Borges
J. M. O. Oliveira
M. L. Souza
F. M. M. Bergamo
E. U. Silva

Resumo

A partir do momento em que os serviços de ultrassonografia passaram a ser aplicados na clínica veterinária, o diagnóstico ultrassonográfico de Dioctophyma renale tem se tornado mais frequente. O órgão preferencialmente parasitado é o rim direito, e o tratamento efetuado é a nefrectomia unilateral. As localizações menos usuais do parasita podem ser: rim esquerdo, cavidade abdominal, ureteres; e tecido subcutâneo. O parasitismo em cães costuma ser subclínico quando apenas um rim é acometido, porém já foi relatada a peritonite, na qual o parasita é observado livre na cavidade abdominal. Os sinais clínicos que podem ser observados incluem: mucosas hipocoradas, hipertermia, desidratação, poliúria, polidipsia e hematúria. Cães errantes com acesso à rua, ou residentes em áreas de risco (margens de rios e lagos) estão mais susceptíveis à dioctofimose.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Seção
VII SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE DIAGNÓSTICO POR IMAGEM VETERINÁRIO (SINDIV)