Diagnóstico e tratamento de compactação de abomaso por areia em bezerra holandesa

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

E. R. M. Martins
C. L. Pereira Junior
D. R. S. Oliveira
C. S. Stanquini
A. M. R. Andrade
D. B. Birgel
E. H. Birgel Junior
M. C. F. N. S. Hage

Resumo

Osteíte podal é um processo inflamatório que atinge as falanges distais dos membros dos equídeos, levando ao quadro de desmineralização da margem solear da falange distal. O distúrbio pode ser classificado como séptico ou não séptico. As principais causas de osteíte podal séptica envolvem as laminites crônicas, abscessos sub-soleares, fratura da margem solear, rachaduras da parede do casco, lesões perfurantes e por avulsão. Acomete mais comumente os membros torácicos, nos quais é frequente a percepção do pulso digital aumentado associado ao aumento de temperatura no membro acometido. Os bloqueios perineurais dos nervos digitais palmares/ plantares podem não eliminar o grau de claudicação do membro em casos de osteíte podal séptica. A osteíte podal não séptica pode ocorrer por condições primárias ou secundárias, ou seja, por traumas ou concussões repetidas durante o trabalho em solo duro ou por calosidade persistentes, laminites, feridas punctórias e falhas na conformação, respectivamente.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Seção
VII SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE DIAGNÓSTICO POR IMAGEM VETERINÁRIO (SINDIV)