Uso de dexmedetomidina em Medicina Veterinária: revisão de literatura

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Gustavo Henrique Julião
Caio José Xavier Abimussi

Resumo

Os fármacos agonistas alfa-2 adrenérgicos são empregados há décadas na rotina anestesiológica veterinária, e recentemente destacou-se no mercado a dexmedetomidina, que possui maior especificidade, seletividade e segurança em relação a fármacos como a xilazina, clonidina, romifidina e detomidina. O objetivo deste estudo foi revisar os efeitos, aplicações e vantagens do uso da dexmedetomidina com base na literatura. Este novo fármaco é de grande interesse ao anestesiologista por promover sedação, analgesia e relaxamento muscular mais potentes que outros sedativos, além de proporcionar outros efeitos benéficos, como a redução do consumo de oxigênio durante o período trans e pós-operatório e da quantidade de anestésicos gerais e analgésicos. Assim como os outros fármacos da classe dos agonistas alfa-2 adrenérgicos, a dexmedetomidina causa depressão do sistema cardiovascular de forma menos acentuada e, no sistema respiratório, ocorre discreta alteração na frequência respiratória e no volume/minuto. A dexmedetomidina pode ser utilizada associada a fármacos opioides e na anestesia dissociativa. Ainda possui a capacidade de ser revertida com fármacos antagonistas alfa-2 adrenérgicos, como o atipamezol.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Palavras-chave
Agonistas de receptores adrenérgicos alfa-2; Cardiovascular; Sedativo; Anestesia
Seção
ANESTESIOLOGIA VETERINÁRIA