Análise da ocorrência da mastite clínica em uma fazenda produtora de leite na região do Triângulo Mineiro, estado de Minas Gerais, Brasil

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

C. P. Gomes
D. M. Silva

Resumo

Os prejuízos diretos da ocorrência de um caso de mastite clínica em vacas leiteiras incluem: tratamento e descarte de leite com resíduos de antibióticos e custos indiretos, perda de produção de leite de curto e longo prazos, aumento do risco de abortamento e de outras doenças, descarte da vaca e a perda de quartos mamários. O presente trabalho efetuou a análise do banco de dados de ocorrência de mastite clínica em uma fazenda produtora de leite da região do Triângulo Mineiro, Estado de Minas Gerais, Brasil. Nesse levantamento foram avaliados os registros dos eventos que ocorreram no período de janeiro/2010 até junho/2014, representados por 1.449 casos de mastite clínica, observados durante a ordenha. Foram analisadas as características físicas do leite com a utilização da caneca de fundo preto, observação visual do úbere e dos animais. A classificação dos casos observados segundo o grau de severidade variou entre: Graus 1 (Leve- somente alterações do leite): n=845; 2 (Moderado- alterações do leite e sintomas no quarto afetado): n=528; 3 (Grave- além dos sintomas do escore 2, a vaca apresenta sintomas sistêmicos): n=70. Também foi analisada a taxa mensal de mastite clínica (MC), dividindo-se o total de casos de mastite clínica por teto de cada mês, pelo total de quartos em risco (média em lactação). Tetos que repetiram a MC em até 14 não foram contabilizados como um novo caso, os resultados variaram de 1% a mais de 10% (<3% ideal). A análise da ocorrência da mastite clínica segundo a localização dos tetos revelou que 48% dos casos de mastite clínica analisados ocorreram nos tetos anteriores e 52% nos posteriores.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Palavras-chave
bovinocultura; bactérias; lactação; ordenha; tetos
Seção
III SIMPÓSIO DE QUALIDADE DO LEITE