Avaliação morfométrica do efeito do extrato hidroalcoólico da mimosa tenuiflora no processo de cicatrização de feridas cutâneas experimentais

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Alita Ruth Ferraz de Lucena
Raphael Amorim de Oliveira
Vanúzia Gonçalves Menezes
Rafaele Ferreira Moreira
Aldrin Vila Nova Silva
Flaviane M.
Florêncio Monteiro Silva

Resumo

Objetivou-se avaliar o efeito do extrato hidroalcoólico (tintura) de Mimosatenuiflora (Jurema-preta) no processo cicatricial de feridas cutâneas em camundongos. O experimento foi realizado no Laboratório de Fisiologia Animal (LAFISA), CCA, UNIVASF, Petrolina-PE. A tintura foi preparada com o póda entrecasca, adicionando-se álcool etílico 70°, 05 vezes ao peso da planta. Camundongos Mus musculus  Swiss, machos, 35,0 ± 5,0g, n=60 foram mantidos no LAFISA em gaiolas individuais, 12h claro e escuro, água e comida adlibitum. Três grupos foram formados (n=20/grupo), considerando-se a formulação aplicada: i) grupo Controle negativo-CN (NaCl 0,9%); ii) grupo Controlepositivo-CP (Fibrase®) e; iii) grupo Tratado-T (Tintura Jurema-preta). Estes foram subdivididos em 04 subgrupos de acordo com as fases da cicatrização (2, 7, 14 e 21 dias de pós-lesão, n=5). As feridas foram produzidas após anestesia (10mg/kg- xilasina 2% e 115mg/kg- Cetamina 10%, IP), tricotomiae a antissepsia da região dorsal torácica. A pele foi demarcada com punch debiópsia e as feridas produzidas com bisturi. As formulações foram aplicadas em quantidade suficiente para o preenchimento da área da ferida. A avaliaçãomorfométrica da lesão foi iniciada 24h após a cirurgia e repetidas até a biópsia. A área da ferida foi determinada com paquímetro. Protocolo aprovado CEUA/UNIVASF nº 0001/131211. A análise morfométrica no 2º dia pós-lesão mostrou pequena redução das áreas (CN 0,790; CP 0,674 e T 0,707cm2). No 7º dia, o grupo CP apresentou significativa redução (ANOVA, Tukey 5%) das áreas das feridas (CN 0,410; CP 0,260 e T 0,420cm2). Aos 14 dias, as feridas nas quais a tintura foi aplicada exibiram significativa redução (CN 0,060; CP 0,019 e T 0,000cm2), apresentando um percentual de contração de 100%. O extrato hidroalcoólico da Mimosa tenuiflora beneficiou a cicatrização de feridas em camundongos, apresentando maiores efeitos na fase de remodelação.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Palavras-chave
Tintura; Mimosa tenuiflora; feridas experimentais
Seção
RESUMOS CONBRAVET